< Voltar página Poetas

Rafaela Gonçalves Ribas

Nasci em Bagé, onde flui meu tempo, onde escrevo minha história. Aqui estão minhas raízes, em que sorvo grãos de beleza tão ternos que estremeço ao simples palpitar do vento, arranhando as frestas da minha janela, quando contemplo a cidade com suas sesmarias de verde e avessos, seus canteiros de apelos e permanências. Aqui vivo. Aqui me perpetuo. Me construo. Sou construída. E me embrenho neste tempo quando sou mãe da Patrícia, ao lado do Fábio, avó do Gustavo e da Fabiana. Cúmplice da poesia. Fervorosa da arte. Submissa às letras. Com indizível imolação.  Bençãos, peço-as todos os dias, a todos os Santos. Aprendi a aprender. Primário, no Silveira Martins, Ginásio e Normal, no Espírito Santo. Pedagogia, Letras e Direito na URCAMP. Pós-Graduação em Língua Portuguesa, "última flor do Lácio", "inculta e bela".

Poesia, toda a vida. Contos, na Oficina de Alcy Cheuiche. Versos, no Cultura Sul há vinte anos. Livros, na Biblioteca Pública Municipal onde presido a Associação dos Amigos e em que procuro o enlace da cultura e literaturas brasileiras, e seus emblemas aos ícones da cultura universal. Aulas, continuo na URCAMP, refazendo o percurso da palavra, decifrando teorias nem sempre digestíveis de coesões e coerências. Assim, vou caminhando, quando sorvo, na efemeridade da neblina, o enigma do dia. À noite, compartilho meu êxtase com o milagre da geada.Arando os escaninhos da alma, reencontrando o mito e o sagrado, amarrando afetos e devoções, venho tecendo, fio a fio, o signo do verso, o enigma da arte e da palavra, na celebração da vida. PATRONA DA 14ª FEIRA DO LIVRO DE BAGÉ/ 2011 //VEJA POESIA ILUSTRADA//